Empresas não são maduras para o home-office

O home office exige maturidade do profissional que escolhe esta modalidade de trabalho, contudo, o home office exige uma maturidade ainda maior das empresas que escolhem trilhar por este caminho. Entendemos que todo profissional responsável pelo seu trabalho é capaz de manter o mesmo nível ou ainda mais no home office, que trabalhando on-site, ou seja, dentro da empresa.

Mas será que as empresas e os gestores estão preparados?

Para uma empresa, o modelo home office trás muitos benefícios, principalmente na economia de infraestrutura para operar. Recentemente soube de uma empresa que para expandir suas operações e economizar 1 milhão ao ano, colocou o seu time em home office, e assim deixou de alugar mais um andar no prédio, maximizando lucros.

Este artigo surgiu a partir de uma conversa com um profissional a respeito do trabalho home office, e vou compartilhar com você os principais motivos porque uma empresa e seus gerentes e diretores precisam mudar a sua visão antes de adotar este modelo, que hoje é um item obrigatório para toda empresa que quer manter seus profissionais. 

O gerente que pensa no home-off

Alguns gestores não sabem lidar com o home-office porque associam esta modalidade com o “home-off”, ou seja, alguém que quer ficar em casa enrolando. Basta lembrar que a maioria dos profissionais responsáveis conhecem suas obrigações e seriam capazes de trabalhar o mesmo ou até mais se pudessem ter um pouco mais de conforto.

Um profissional que vai enrolar em casa, também o faz no escritório quando os líderes não estão olhando. Não se trata onde o profissional está, mas aquilo que ele faz costumeiramente, e desta maneira, todo bom líder deveria saber identificar profissionais e não tê-los no time. 

Todo profissional é comprometido

Basta saber que se você tem um profissional comprometido seu escritório, ele vai ser também no home-office. Se um profissional se dedica até tarde, ou entrega suas atividades no prazo, ele também vai fazer home. As pessoas repetem o comportamento em tudo aquilo que fazem, portanto se você trabalha muito on-site vai ser capaz de trabalhar até mais home-office. Eu observo sempre isso. Os profissionais trabalham até mais home-office que on-site, pois estão livres das discussões, reuniões sem sentido e de pessoas que vem até suas mesas para conversar, ou aquelas pausas para o cafezinho na copa.   

Delegando atividades em excesso (Achando que o profissional está ocioso)

Alguns lideres perdem a mão quando delegam atividades para os profissionais home-office, porque pensam que eles estão ociosos, quando na verdade estão sobrecarregados. Costumo dizer que trabalho mais quando estou home, porque as pessoas fazem mais solicitações quando sabem que não estou no escritório “ele com certeza tem tempo para ajudar”. Contudo, se um profissional tem uma capacidade produtiva no escritório, ele provavelmente não vai fazer o dobro home, mesmo sem todas as distrações, porque se isso fosse possível, você como gestor deveria considerar um profissional sub alocado no escritório.

O profissional home-office não vai pegar ônibus ou se locomover, mas isso não quer dizer que ele vai usar este tempo trabalhando. O home-office garante maior conforto e tempo para o profissional curtir a sua vida. 

Necessidades de São Tomé

Alguns gestores são como São Tomé, só acreditam que alguém está trabalhando se estão vendo. Existe uma necessidade absoluta de ver o seu time reunido no escritório, mesmo sem saber que parte deles podem estar olhando para a tela do computador e pensando no churrasco do final de semana. Um profissional comprometido pode trabalhar de qualquer lugar. Contudo, a sociedade moderna deveria considerar não o tempo trabalhado, mas o resultado gerado. 

Tempo x Resultado

A sociedade moderna, e o futuro do trabalho, puxado pelas startups e pelo fim da revolução industrial, entendeu que hoje o importante não é o tempo que alguém se entrega para o trabalho, mas o resultado que ele apresenta. Algumas pessoas criativas podem entregar um artefato altamente lucrativo em algumas horas, enquanto que um profissional mais travado levaria semanas para fazer. Ambos estes profissionais não deveriam ser remunerados pelo tempo, mas para resultado que eles podem gerar.

Aqueles profissionais mais capacitados deveriam receber mais.

E o trabalho home-office é exatamente isso, o resultado gerado independente do tempo que o profissional usou para conseguir aquilo.

 

Hoje, se a sua empresa não aderiu este modelo, saiba você que existem milhares de negócios que entenderam que o home-office é uma tendência, e não é possível mais voltar. Por economia para as empresas, por maiores resultados e também para a comodidade dos profissionais. Se hoje você não está satisfeito com o seu trabalho, mude para um modelo que pode proporcionar tudo isso para você.

Comentários do post

Comentários

Copyright 2019 - Marcelo J Bresciani

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?